Esmal - 05/12/2019 - 15:14:31
Esmal inicia capacitação em inteligência, contrainteligência e ferramentas persecutórias
Voltado para magistrados, o curso tem como objetivo aperfeiçoar o entendimento teórico e prático nas ferramentas utilizadas na obtenção de provas judiciais

Docente Martin Bottaro Purper, delegado da Polícia Federal, deu exemplos de como a polícia obtém provas judiciais. Docente Martin Bottaro Purper, delegado da Polícia Federal, deu exemplos de como a polícia obtém provas judiciais. Foto: Lucas de França

A Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal) deu início, nesta quinta-feira (5), ao curso “Inteligência, contrainteligência e ferramentas persecutórias”. A capacitação é voltada para magistrados e tem como foco aperfeiçoar o entendimento teórico e prático nos aspectos dos riscos e ameaças da tecnologia, de forma a diminuir a exposição e os danos colaterais inerentes à atuação profissional, trazendo uma maior eficácia na produção de provas determinadas judicialmente.

"A ideia é que o magistrado tenha um contato maior com as ferramentas que ele disponibiliza nas sua decisões judiciais, de maneira que ele possa compreender algumas dificuldades técnicas que ocorrem e influem diretamente na produção da prova e consequentemente no juízo de valor do magistrado", explicou um dos docentes do curso, Martin Bottaro Purper, delegado da Polícia Federal.

Para Ferdinando Scremin Neto, juiz do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) e também docente da capacitação, é fundamental que o magistrado conheça a forma de como as provas são obtidas pela polícia.

“O juiz criminal recebe muitos pedidos de medidas cautelares e muitas vezes ele não conhece a parte prática, as ferramentas que ele pode ter e qual o alcance que aquele pedido tem para a instrução de provas. É importante ele saber como é produzida a informação e como resguarda-lá para o resultado do processo. No curso, ele está conhecendo como essa informação é obtida, tendo uma noção de como a polícia e a justiça trabalham junto às empresas de tecnologias, aplicativos e empresas telefônicas”, complementou Ferdinando.


Diretor-geral da Esmal, desembargador Fábio José Bittencourt visitou a capacitação e conversou com os cursistas. Foto: Lucas de França


Aluno do curso, o magistrado Thiago Morais destacou a importância da capacitação. “Esse curso traz novidades de softwares que são importantes para a atividade jurisdicional na descoberta de provas. O magistrado estar atento e atualizado nas ferramentas e instrumentos dos quais ele pode dispor na hora do processo, facilita e colabora para um juízo de convicção mais certo daquilo que está sendo investigado nos autos".

A capacitação teve início nesta quinta (5) e se encerra na sexta-feira (6), disponibilizando certificado de 20 horas-aulas para os cursistas.


Lucas de França - Esmal TJAL
imprensa@tjal.jus.br - (82) 2126-5378



Curta a página oficial do Tribunal de Justiça (TJ/AL) no Facebook e acompanhe nossas atividades pelo Twitter. Assista aos vídeos da TV Tribunal, visite nossa Sala de Imprensa e leia nosso Clipping. Acesse nosso banco de imagens. Ouça notícias do Judiciário em nosso Podcast.